Redactorial espectavel/ coerente, aliado a material áudio-visual próprio e de outrem, promulgado por uma angiosperma de Biologia | Hopefully coherent wording associated with own and 'else's audiovisual material promulgated by a Bio-major

Posts

Domingo, 13 de Fevereiro de 2011

            write also will be the case here.

           sunday posting is going to substitute my Sunday Love Lists. I was introduced to the SLL idea from a blog and did a quick list - even so because "Sunday" had a small physical space on my agenda - on the, by my accounts, lovable happenings, interactions and things of the week. I did so spanning the last three months of last year. It's a good exercise. I may just be overcompensating for feeling alone and not be stupidly distracted by having a TV - since I don't - or something. Either way, I recommend sharing with people that made you feel great that week - either if you do such a list or just any retrospective thought.

yeah, old sunday love list space

  • tops this week (life highlight really):
    «

    Thank you for being part of that wall [of arms around me].
    »

  • quote from Animal Advocacy and Emocional Stress Podcast by Colleen Patrick-Goudreau
    « 
    I'll tell you what I think is the best form of activism for you:
    Whatever it is that you're good at and whatever it is you love.
    I happen to think this is the key not only for not just activism but the answer so 'what am I supposed to do in this word?'. I don't believe that are supposed to have the separation between the work that we're supposed to do in the world and the way we are supposed to make a living.

    I believe the work you're supposed to do in this world should be an extention of your passion and your gifts.
    (...) More important than the answers we have, are the questions we ask. I just keep asking 'What do I love?' and 'What am I good at?' and I kept getting direction about what I needed to do, about what the answers were.
    »

  • graphic/typographic interpretation of philosophical song lyrics by designer Mico @ http://www.musicphilosophy.co.uk/

 

              in other instance, what i've learned about non-human animals, the way we treat some of them - or your ethical conscience for them in general - and the way I am make me want to try to start a project for effective animal rights advocacy.

               I have been keeping myself from putting my thoughts to action - those of speading the ideals that I've acting upon for more than a year now. The proximity of such a positive change - to try to create beliefs by sharing my thoughts - is also a week highlight. I've made contact with People for the Ethical Treatment of Animals - with whom (by the person of a coordinator) I have had contact because of my senior year project about ecology and sustainable development in my region - and I'm posting an excert of my e-mail if you care to read it.

 

  • ✎ Animal Rights College Project (excert):

«

(..) I was shocked coming here [to college] and seeing an overall 'vegetarian situation' that was one of lack of knowledge and misrepresentation. (..)

Most reactions were "Oh, really, you're vegetarian?" or "I've thought (or have been veg) about becoming but could never to do it (couldn't keep being)" or worse - nothing. I haven't met or even seen many vegs in the caffeteria (and the veg option, 'though existent, is not very good).

You can be a vegetarian for such a variety of reasons. As Bruce Freidrich said 'as many as there are vegetarians'. For me it happened both intelectually and emotionally. (..)How can there not be a growing movement seen in a allegadly intelectually stimulating environment as college? This college, there is.

(..)people get very strick-to-business and the only associative student movements you see growing are the ones of party-planning to try and get the mind away from work. I don't identify with this.(..) I really hope this is just the people I've known. Other great ethical people may be out here just not making themselves heard. (..)It leads me to think that I should be getting heard more. The only activism kind of thing I did was inspiring and I hope leading by example.

(..)[I want it to be spread] how being veg is such an evolutive ethical step forward with an amazing impact on so many levels. How it is so good. It's not even funny how it gets deliberately taken away from public debate and how people get affraid and prefer to remain ignorant on the subject. I'm speaking this to be my truth, and I'll try to do it in a humble, peaceful yet I hope/want most effective way.

»

 

✎ Redactorial de Outrem | Someone else's wordings

   World of Wisdom Living – Advice on diet and lifestyle

 

♪ Cadência Harmoniosa | harmonious rhythm

   You and Me are Gone – Jamie Cullum and the Heritage Orchestra

 

 Relevante | Must See

   You Have a Pretty Smile!

 

             yours environmentally, Flor

 

  _____________________________________________________________________________________

 

fala a tua verdade

              escreve é o caso aqui.

             fazer um post ao domingo vai substituir a minha "love list" semanal. Fui introduzida a esta ideia num blog e passei a fazer uma lista curta - mesmo porque o espaço físico que o "Domingo" tinha na minha agenda era pequeno - dos, para mim, acontecimentos, interacções e coisas que amei cada semana. Fi-lo nos domingos dos últimos três meses do ano passado. É um bom exercício. Talvez este alvitre se deva a ser para mim é uma espécie de compensação por estar sozinha ou a ter tempo livre por não estar estupidamente distraída pela televisão - dado que não tenho tv - ou algo afim. De qualquer forma, recomendo que partilhes com as pessoas que te fizeram sentir bem essa semana que assim o fizeram - faças uma lista análoga ou tenhas apenas algum pensamento retrospectivo.

  • remata esta semana (sendo até um ponto alto da minha vida):

«

Obrigado por fazeres parte dessa parede [de braços à minha volta].

»

«

Digo-te aquela que acho ser a melhor forma de activismo para ti:
Seja o que for em que és bom e seja o que for porque tens apreço.
Sou da opinião que isto é a chave, não só para o activismo, mas a resposta para "o que é que eu devo fazer neste mundo?".
Não acredito que tenhamos de ter a separação entre o trabalho que temos que realizar e a maneira como devemos viver.
Acredito que os nossos objectivos de vida devem ser uma extensão das nossas paixões e dos nossos dons.
(..) Mais importante que as respostas que temos são as perguntas que fazemos. Eu fui perguntando "O que é que eu adoro?" e "Em que é que sou boa?" e fui  tendo a noção do que precisava de fazer, de quais eram as respostas.

»

 

             noutra instância, quero partilhar que o que aprendi nos últimos anos sobre animals não-humanos, a forma como tratamos alguns deles - or mais a nossa consciência étíca sobre eles no geral - e a minha maneira de ser fazem-me querer tentar começar um projecto com o intuito de advocacia pelos direitos dos animais.

             tenho-me impedido a mim prórpria de por os meus pensamentos em acção - os de tentar divulgar os ideais sobre os quais tenho agido há já mais de um ano. A proximidade desta mudança e acção positiva - em suma de tentar criar crenças (fundadas) através da partilha de ideias - é também um ponto alto da minha semana. Contactei novamente a People for the Ethical Treatment of Animals - com quem (pela pessoa de uma coordenadora) já tinha estabelecido contacto devido ao meu projecto de 12º ano sobre ecologia e desenvovimento sustentável - e posto um excerto da mensagem de correio electrónico em questão se fizerem o obséquio de ler.

 

  • ✎ Animal Rights College Project (excerto):

«
(..) fiquei chocada ao chegar [à universidade] e dar conta de uma situação em termos de vegetarianismo que achei uma de falta de conhecimento e sob-representação.

(..) A maioria das reacções foram "Ah, a sério, és vegetariana?" ou "Já pensei em ser (ou já fui veg) mas nunca fui capaz (ou consegui manter-me)." ou pior - nada. Também nunca dei por muitos vegetarianos na cantina (e as opções vegetarianas - apesar de existentes - não são muito boas).

Podes ser vegetariano por uma parafernália de razões. Como disse Bruce Freidrich 'tantas quantas há vegetarianos'. Para mim aconteceu ambos logica e emocionalmente. (..) Como é que não há um movimento crescente num ambiente alegadamente intelectualmente estimulante como a universidade? Esta universidade, convenhamos.

(..) os meus pares tendem a restringir-se ao trabalho obrigatório e os únicos movimentos associativos estudantis que se vêm a crescer a olhos vistos são os de planeamento de festas para tentar afastar a mente do trabalho. Não me identifico com isto. (..) Espero que sejam só as pessoas que conheci até agora. Outras boas pessoas com um elevado sentido ético podem estar por aí simplesmente não se fazendo ouvir. (..) Isto leva-me a pensar que devia fazer-me ouvir mais. O coisa mais parecida com activismo que tenho feito é inspirado e espero liderado pelo exemplo.

(..) [Quero divulgado] o quão ser veg é um passo em frente evolutivo que demostra maturidade ética e que tem um impacto positivo a tantos níveis. Quão agradável é. Como nem chega a ter piada como este assunto é tirado de sério debate público e como as pessoas têm medo e se deixam permanecer ignorantes sobre o assunto. Quero espalhar isto como sendo a minha verdade, que não o-é apenas para mim mas para um número crescente de pessoas por todo o mundo, e quero faze-lo de modo humilde, pacífico no entanto eficáz.
»

 

             saudações académicas, Flor